Calem a boca e deixem as pessoas viverem suas vidas!!

Erna Sully, do Godsmack, pega pesado com as celebridades por encorajar comportamentos médicos durante pandemia

Calem a boca e deixem as pessoas viverem suas vidas!!

O vocalista do Godsmack, Sully Erna, deu um golpe em celebridades, incluindo colegas músicos, que usaram suas vozes como influenciadores para encorajar comportamentos médicos, dizendo que deveriam "calar a boca e deixar as pessoas viverem suas vidas".

Erna, que recentemente confirmou que a política teve um papel em sua decisão de realocar a sede da Godsmack para a Flórida — que se inclina como republicana nas eleições presidenciais — em parte o tempo, mantendo uma casa em New Hampshire, discutiu suas opiniões sobre campanhas de saúde de celebridades em uma nova entrevista.

Falando sobre o fato de que os patrocínios de vacinas estrelados se tornaram uma parte importante das mensagens de saúde pública na era pandêmica, o cantor e guitarrista de 53 anos disse: "Sou pago para ser um artista. Essa é a posição que eu escolhi. Então vou me concentrar em entreter, fazer as pessoas sorrirem, curar as pessoas através da música. E qualquer outra pessoa que esteja lá fora em um status de celebridade que está empurrando as pessoas de um jeito ou de outro quando você não tem experiência como um especialista médico ou um político, meu conselho é calar a boca e deixar as pessoas viverem suas vidas porque você não sabe as consequências do seu incentivo de uma forma ou de outra. Então por que não só faz o que é ótimo e entretém, porque é isso que você é? Essa é a posição que tomei e essa é a posição que vou manter. Vou escrever minha música, vou fazer grandes shows ao vivo, e vou ajudar as pessoas a escapar de muitos de seus problemas diários, que elas tenham que enfrentar de qualquer maneira."

Em março passado, Erna contou ao "The Mistress Carrie Podcast" sobre sua mudança para a Flórida. "Eu estava de olho numa área para uma casa alternativa. E a Califórnia estava no meu radar, porque tenho muitos amigos lá, incluindo meus negócios e eu amo o clima da região. Mas quando toda essa merda política aconteceu, isso realmente me desligou para apenas o processo de pensamento e formas de ser para muitos dos liberais e pessoas com quem eu simplesmente não posso me conectar naquele comprimento de onda. Então, meio que me chateou a um ponto em que eu estou, tipo, bem, eu realmente não quero ir três mil milhas através do país para pagar o triplo da quantidade de dinheiro para viver nesse tipo de absurdo e ser trancado."

Ele continuou: "Então, sim, o COVID e a política jogaram um pedaço da minha decisão de sair fora da Flórida. E eu honestamente fui lá para comprar um imóvel com um pouco de espaço e uma casinha decente, e eu queria cavalos. E eu sabia que Shannon [Larkin, baterista do Godsmack] esta numa espécie de "paraíso para cavalos", que é em North Fort Myers. Então eu me deparei com um grande negócio com essa senhora que tinha um rancho de cavalos de 20 acres, mas ela também tinha um pasto de 30 acres ao lado, que é apenas um pasto aberto que um cara aluga para deixar suas vacas. E isso me dá uma isenção de impostos porque é agrícola. E eu recebo meia vaca por ano [Risos]. Então, sim, eu também come carne. Não só não sou um liberal, como sou um comedor de carne."

Com o governador Ron DeSantis no comando, a Flórida é considerada um dos locais nos EUA com as restrições menos rígidas com relação ao COVID-19.

Erna tem emitido mais suas opiniões políticas nos últimos anos, dizendo num episódio de julho de 2020 de seu programa na Internet "Hometown Sessions" que se "Trump permanecer na presidência, o COVID será um grande 'chute no saco', e haverá mais pessoas queimando os malditos restaurantes da Wendy. Se Trump cair, de repente eles vão ter essa vacina milagrosa que esses malditos mentirosos têm guardada."

Em fevereiro de 2020, Erna foi 'queimado' por compartilhar um post que foi sinalizado como parte dos esforços do Facebook para combater 'fake news e desinformação' em seu feed de notícias. O post em questão criticou o plano do então candidato presidencial democrata Bernie Sandersde para aumentar o salário mínimo e fornecer cuidados de saúde universais a todos os americanos. Também citou o plano Medicare For All de Sanders, um único programa nacional de seguro de saúde que cobriria todos que vivem nos Estados Unidos.